Skip to content

As 7 regras de Luta Corpo-a-Corpo de Fiore dei Liberi

Autoria de Pete Kautz; Tradução de André Zabatiero.

No seu livro de 1410, Flos Duelatorum (A Flor da Batalha) Fiore nos conta que em seu tempo ele conheceu “100 homens que se intitularam mestres, apesar de que se suas habilidades fossem combinadas você não teria nem ao menos 4 bons estudantes, muito menos um Verdadeiro Mestre”, e que ele escreveu seu livro no final de sua vida devido ao fato de simplesmente não haver ninguém ao seu redor que era tão habilitado e capaz, ou que conhecia tantas técnicas como ele. Se você estudar os manuais antigos poderá verificar a verdade nessa afirmação. Nenhum outro manual mostra o mesmo número de técnicas com tamanha diversidade de armas. Se você juntar todos os manuais de Talhoffer juntos poderia ter um volume igual ao de Fiore, mas nenhum manuscrito por si mesmo poderia afirmar ser à altura de seu manual.

Fiore nos conta que “Algumas pessoas irão pensar que eu misturei técnicas úteis e inúteis, mas ele cometeria um grande erro, pois apenas descrevi as que vi, usei ou criei, e omiti as técnicas inseguras”. Essas são as mesmas técnicas que ele usou para matar vários homens ao guerrear, e em um número de combates pessoais até a morte, sem algumas das técnicas mais “especulativas” de manuais posteriores, onde os autores talvez estivessem mais distantes desse tipo de vida brutal.

Mais do que meras técnicas estão contidas nesse manual, e Fiore nos dá instruções na atitude mental apropriada e treinamento dos atributos necessários para ser efetivo em combate. Esse aspecto de seu trabalho não foi explicado apropriadamente, creio eu, e muitas pessoas olham para o trabalho magistral de Fiore apenas como uma fonte de “truques” individuais que, sem a atitude e atributos necessários, podem ser impraticáveis. Em um esforço para esclarecer esses aspectos vamos cobrir algumas das idéias do texto de Flos Duelatorum.

A primeira coisa que considero importante entender são suas 7 regras da Arte do Enlaçamento(corpo-a-corpo). Ele nos diz apenas que luta corpo-a-corpo requer 7 regras. Essas são dadas como um grupo de Palavras Chaves – Força, Velocidade de Braços e Pernas, Agarres, Quebras, Amarrações, Golpes e Injúrias. Fiore nos aconselha a praticar essas técnicas cuidadosamente ao treinar mas não se conter em nada numa luta real pela sua vida. “Nenhum homem deve enfrentar seu inimigo com gentileza.”

Além de listar as Palavras chaves, Fiore não nos dá nenhum conselho sobre o que elas representam, ou como treinar essas 7 Regras. Com essa finalidade, irei descrever cada Regra para clareá-las, e dar uma melhor idéia do que pensar sobre  como suplementar seu treino.

Força

Apesar de parecer óbvio que ser forte é uma vantagem para um combatente, muito subestimam esse fato em seu treinamento. Existe um mito antigo que “tamanho e força não importam se você tem uma boa técnica” e nas armas isso é “quase” verdade, mas o outro lado da moeda é que “se a técnica é quase igual, a probabilidade está na pessoa maior e mais forte.” Para dar um exemplo justo imagine ter que lutar você mesmo, só que dessa vez tendo 10 quilos de músculos a mais. Ainda acha que força não é vantagem?

Condicionamento é o Segundo componente de sua força de luta, pois sem ela não podemos continuar lutando. Existe um antigo ditado que diz “Fadiga faz um covarde do todos nós”. Luta corpo-a-corpo desenvolve rapidamente condicionamento no corpo inteiro de uma maneira diferente de outras atividades aeróbicas.

A habilidade de Ferir é a terceira parte da equação da Força. Giacomo DiGrassi, um mestre italiano, disse que todo combate acaba sendo Força e Raciocínio. Ele definiu Força como sendo a habilidade de “ferir” o inimigo, e essa é a chave. É importante saber como golpear rápida e duramente, de maneira a maximizar o potencial da arma.

Velocidade de Braços e Pernas

Você deve ter um bom jogo de pernas, equilíbrio e agilidade. Você deve também ter mãos e reflexos rápidos que se coordenam com o resto do corpo. As artes Ocidentais geralmente usam uma estrutura onde a mão se move antes do corpo para facilitar a velocidade, mas quando o golpe conecta o corpo inteiro está por trás dele, através do uso coordenado de tempo e jogo de pernas. Também há uma ênfase em evitar pancadas movendo o corpo para permitir que golpes em tempo único acertem, sem ter que usar uma defesa ativa de bloqueio.

Agarres

Você deve ser capaz de agarrar o inimigo e controlar ele. Para poder aplicar as técnicas de chaves, quebras ou quedas você tem q primeiro entrar em contato com seu oponente. Nesse esforço inicial de controlá-lo, você deve saber onde agarrar e como agarrar para ter sucesso. Existem alguns pontos específicos do corpo que quando puxado, empurrado ou torcido podem manipular o oponente e tirar o seu equilíbrio ou derruba-lo. Força na pegada é uma área normalmente negligenciada.

Quebras

Uma vez que você tenha agarrado o seu oponente, existem várias maneiras de quebras seus membros. Essas são inicialmente aprendidas como chaves aplicadas nas juntas, mas são utilizadas em combate como quebras usando toda a força e peso de seu corpo contra a junta controlada. Quebras para dedos, pulso, cotovelos, ombros, pescoço e espinha são mostrados, alem de chutes como propósito de quebras joelhos, tornozelos ou os pés do oponente.

Amarrar

Você deve ter a habilidade de amarras as mãos e braços de seu oponente, dando chance de aplicar golpes, quedas ou desarmes. Isso é conhecido como “trapping hands” em algumas artes, e incluem puxões, traves, ganchos e outras técnicas de jogo estreito. Isso é integrado à habilidades de golpear e desarmar, controlando o oponente e sentindo através do tato suas intenções e contra ataques. Amarrar também incluem a habilidade de “desamarrar-se” e escapar de pegadas.

Golpes

Você deve ter a habilidade de golpear com o propósito de ferir o oponente. Isso inclui técnicas com punho, palma, antebraço e cotovelos, cabeçadas, joelhadas, chutes baixos e também técnicas “eternas” como dedo no olho, enganchar o lábio e puxar cabelos.

Ferir

Você deve conhecer os pontos os pontos vitais e as armas do corpo apropriadas para golpeá-los. Os olhos, orelhas, nariz, garganta, clavícula, esterno, plexo solar, joelhos, canela e espinha são alguns dos alvos mais comuns.

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: