Skip to content

Hollywood e seus clichês

No último século, os filmes épicos criados pelo cinema americano se tornaram uma das maiores fontes de inspiração para a maioria das pessoas se interessarem por história. Para aqueles que moram longe de grandes museus,  a tecnologia gráfica, e ainda mais nestas última década, permite criar uma grande riqueza de detalhes, mas infelizmente é um dos maiores meios de confundir a população acerca do mundo medieval. Algumas escolhas infelizes de alguns diretores se tornam sucesso e consequentemente outros filmes acabam seguindo a mesma linha, o que resulta em clichês que leva a muitas falsas concepções do período.

1. Pirotecnia

Não há nenhum problema que não possa ser resolvido sem usar uma quantidade suficiente de Pirotecnia. Os departamentos de efeitos especiais são ótimos em fazerem todas as coisas explodirem. Se um automóvel cai de um penhasco, estoura em chamas, sem dúvida nenhuma. Se uma arma de cerco lança um míssil, com certeza será uma flamejante.

Um dos clichês mais clássicos dos filmes históricos são as flechas de fogo. Embora essas armas tivessem utilidade contra estruturas inflamáveis, ela não se comparam com a eficácia de uma flecha tradicional. Ter um flecha flamejante saindo de bem perto do seu rosto é algo bem desagradável e perigoso para você, suas armas e roupas. Cobrir uma flecha com com produtos inflamáveis é ruim para a resistência do ar, precisão, alcance, e penetração e consome um tempo precioso para acendê-las e para produzí-las.

miniatures.de

Mas na terra dos clichês, nada disso importa, pois flechas incendiárias ficam lindas na tela, ainda mais se a batalha é travada à noite.

2. Guerra à noite

No mundo real, quase sempre batalhas à noite eram situações que generais tentavam evitar, uma vez que suas tropas podiam tomar uma direção errada e começar a matar seus aliados. Você pode lembrar que os soldados usavam uniformes para se distinguir, mas não eram uniformes fluorescentes e eles não eram sempre brancos e limpos. O ambiente de guerra não era limpo, a maioria dos soldados a pé ficavam sujos de barro, sangue etc. E caso você decidisse lutar à noite, a escolha sensata era usar um ataque furtivo para evitar que qualquer coisa pudesse estragar o elemento surpresa e te tornar um alvo fácil, como carregar tochas.

O filme “Linha do tempo” trouxe o clichê para um novo nível: um ataque noturno com flechas em chamas, canhões de cerco jogando bombas incendiáriaso, soldados carregando tochas, e um fosso de fogo. Por que os atacantes não esperaram o fosso queimar? E porquê era uma surpresa desagradável usar flechas normais?

Coisas flamejantes são ótimas escolhas quando um diretor não tem enredo para tornar uma cena interessante.

3. Bomba Napalm Medieval

Hoje em dia é facil achar líquidos inflamáveis, mas não era assim no perído medieval. Mesmo assim, tente jogar algum líquido em um terreno, ele tem que estar bem favorável para queimar, se não estiver, sua chama se extinguirá rapidamente. Eles usavam betume  ou petróleo, mas não eram muito comuns, ainda mais longe do Oriente Médio.

No filme Coração Valente, William Wallace tem acesso fácil a grandes quantidades de gasolina. Na batalha de Falkirk, parece que ele tem um caminhão-tanque estacionado atrás do seu exército para que ele possa molhar um grande trecho como armadilha mortal para o inimigo que em seguida é incendiado por flechas incendiárias. E parece que Wiliam Wallace carrega um isqueiro pois ele sempre tenta queimar algo inglês.

4. Heróis não usam elmos

Em um mundo real com armas afiadas, um elmo tem que ser a sua primeira e de melhor qualidade proteção. Sua cabeça é um alvo muito mais fácil de acertar do que seu corpo, e como tem várias áreas sensíveis, um golpe na cabeça pode acabar com seu dia facilmente. Mas para o herói de Hollywood, um elmo sempre é um estorvo que sempre é descartado logo que possível, para que o rosto do herói possa ser facilmente visto e reconhecido.

Há relatos históricos de líderes tirarem seus elmos no meio da batalha para mostrarem que ainda estão vivos e animarem seus soldados. Em 1066, na batalha de Hastings, soldados de Guilherme o Conquistador achavam que ele estivesse morto e então ele tira seu elmo e grita “Estou vivo! Estou vivo! Continuem lutando! Nós ainda os conquistaremos!”

Tapeçaria de Bayeux mostra Guilherme (à direita) tirando seu elmo.

Um combatente pode tirar seu elmo por muitos motivos como para se comunicar, respirar melhor, caso esteja mais atrapalhando do que ajudando ou ainda num ambiente menos hostil como um cerco, mas com certeza não é a melhor escolha num campo de batalha.

5. “Homens de ferro, armadura de papelão”

As armaduras mostradas nos filmes geralmente são inúteis contra a maioria das formas de ataques. Sempre que a trama exige, flechas e golpes as perfuram com facilidade. Quando ela mostra um proteção suficiente, normalmente é mostrada como pesada demais para um uso eficiente. Os mitos de hollywood seguem basicamente estas modalidades:

1 – “Brigandine do Coração Valente” – Brigandine é um armadura de placas de metal rebitadas debaixo de uma cobertura de couro. No filme, eles mostram um versão errada desta armadura, com espaços entre as placas, onde qualquer deslize do aço pode chegar aonde tem apenas couro e ferir o usuário. Existe uma versão pior ainda, é o “Pijama de guerra do Coração Valente” – calças com placas rebitadas mas com grandes espaços entre elas para o usuário se mover. Estas aberturas permitiram Mel Gibson cortar as pernas de vários adversários.

2- Armadura de couro com tachinhas decorativas. Este tipo de armadura normalmente é projetado para se parecer com brigandines. As tachinhas presas no couro podem oferecer no máximo o mesmo nível de proteção que moedas em um bolso. No entanto, a combinação de tachinhas de metal e couro é muito popular nos filmes e séries que retratam o período medieval.

6 –  Homens de verdade não usam vestidos.

Designers de Moda muitas vezes têm medo de que a roupa masculina medieval possa parecer feminina para o público em geral. Túnicas e mantos normalmente acabam se transformando em jaquetas curtas, blasers ou sobretudo. Calças do período normalmente são susbstituídas por calças modernas e as vezes até com acessórios de vaqueiros. Ou ainda usando roupas e acessórios de de períodos diferentes como no filme Coração Valente. O kilt só foi introduzido na renascença e os escoceses não pintavam o rosto para a guerra há mais de 800 anos..

7 – Armas de Cerco portáteis

Os filmes mostram os exércitos carregando enormes armas de cerco sendo carregadas facilmente pelas “estradas” medievais em um curto espaço de tempo. Armas de cerco também eram feitas no local, mas normalmente elas aparecem feitas ou carregadas sem nenhum esforço (como no caso do filme Linha do Tempo ou Joana D’Arc).

8 – Combate Desorganizado

Alguns coreógrafos modernos gostam de mostrar o caos da batalha espalhando pessoas por todos os lados em uma série de vários combates de apenas um pessoa contra outra. Se você chegasse a este tipo de situação em um campo de batalha medieval, você, seus companheiros, e seu comandante morreriam em poucos minutos. O certo seria estar em uma boa formação com um aliado à sua esquerda e à sua direita (normalmente era alguém de extrema confiança como alguém de sua família), e você não vai querer quebrar esta formação até o seu inimigo está estar morto ou fugindo.

Um exemplo mediano é a cena do filme Cruzada em que há o choque de escudos dos dois exércitos no muro da cidade.

Fontes:

http://willscommonplacebook.blogspot.com
http://www.thearma.org/essays/TopMyths.htm
http://www.thearma.org/essays/thrusting_vs_cutting.html

Advertisements
%d bloggers like this: